Business

MEDIUNIDADE DE PSOCOGRAFIA NA UMBANA

Texto de Rubens Saraceni


Revista Espírita de Umbanda no 10.


Ed. Minuano


 

“O início da manifestação da escrita foi pouco antes do primeiro livro psicografado, “O Cavaleiro da Estrela Guia”, em 1990. No momento em que eu preparava as aulas para os médiuns, um mentor espiritual se aproximava e eu psicografava as aulas. Depois, digitava e ministrava aos alunos. Isso no tempo em que tinha o centro no Jardim Hercília, onde comecei, em1983. Não era uma psicografia completa, eram mensagens passadas sobre assuntos de interesse dos médiuns, e isso foi gerando apostilas que posteriormente organizei para o curso de teologia. Eu já psicografava, mas não romances ou livros, como hoje. Acredito que aquilo já fosse uma preparação porque, quando surgiu “O Cavaleiro da Estrela Guia”, foi um processo em que eu estava sentado e deu vontade de escrever algo parecido com um conto, ou um romance, mas eu nunca havia feito algo desse tipo. Então, me sentei e comecei a psicografar. Eram cerca de nove horas da manhã e só parei a uma da tarde, para almoçar, e já tinha psicografado 10 folhas de caderno, que eu guardo até hoje, pois ali estava nascendo o livro. Almocei e continuei psicografando até uma hora da manhã. Eu estava em um transe, escrevendo sem parar, e em uma semana, já tinha psicografado todo o livro, que tem seiscentas e poucas páginas.”

Quantos livros foram psicografados até chegar a uma editora e publicá-los?

“Eu já havia escrito uns dez livros, quando procurei algumas editoras para publicá-los. Na época eu não conhecia nada do assunto e percebi que não conseguiria por tratar-se de obra mediúnica, e as editoras que procurei não aceitaram. Me animei então a fazer o “Guardião dos Sete Portais da Luz”, que era um livro menor e eu poderia bancar o custo. Contratei pessoas que fizeram a revisão, a diagramação e a capa e mandei imprimir cinco mil livros, uma ideia meio maluca, porque depois eu não sabia como vendê-los. Vendi cerca de mil e seiscentos livros e o resto ficou encalhado. Fui presenteando às pessoas até acabar com todos. Foi realmente uma aventura, mas logo depois algumas pessoas me procuraram para lançar o livro, os irmãos Balavota, que o reeditaram com outra capa. Depois, editaram “O Ancestral Místico”, “O Guardião da Meia Noite”, “Diálogo com o Executor” e “O Cavaleiro da Estrela Guia”. Até 1996, eu divulgava pouco e4sse trabalho, porque havia me mudado para Uberlândia, onde fiquei por três anos e psicografei dezenas de livros. Quando em 1995 voltei para São Paulo, já tinha cerca de quarenta livros de Umbanda e eu tinha dificuldade em vender. Foi um tempo muito difícil, um início muito trabalhoso para mim.

Nos fale sobre os livros didáticos e doutrinários. Qual o objetivo desses livros?

“Os livros didáticos, que nós podemos chamar de teóricos ou doutrinários, têm uma função muito especial, porque vêm comentando a Umbanda num enfoque até então não existente, mas voltado para o aspecto teológico da religião. Existiam trabalhos muito bons de outros autores, mas que haviam desaparecido das livrarias, não se encontrava, principalmente com o crescimento e a pressão de algumas seitas evangélicas contra a Umbanda. As livrarias se recolheram e esses grande autores foram desaparecendo.

O ato de escrever uma saga da envergadura de “O Guardião da Meia Noite”, é um dom inspirado por um irmão vivendo atualmente no plano espiritual que se identifica apenas como Pai Benedito de Aruanda, a quem devo muito, pois aprendi com ele coisas que jamais imaginei que existissem.

Todos pensam que o dom mediúnico da psicografia é particular dos médiuns espíritas, mas não é, pois assim como eu, um médium umbandista, muitos outros, de outras religiões, escrevem inspirados por nossos irmãos de luz.”

 

Escritores umbandistas e seus mentores espirituais

Norberto Peixoto – nasceu em Porto Lucena, estado do Rio Grande do Sul no ano de 1963. Ainda criança, viu-se diante do mediunismo por intermédio de seus pais, ativos trabalhadores umbandistas. Foi iniciado na Umbanda aos 7 anos de idade. Atualmente desempenha tarefas como médium trabalhador no grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade em Porto Alegre, templo religiosos universalista ecumênico do qual é presidente-fundador. Seus principais mentores na psicografia são Ramatis, Vovó Maria Conga, e Pai Tomé, em cujo último lançamento “Aos Pés do Preto–Velho” é responsável  junto a Ramatis. Destaque para : “Umbanda de A a Z- Aprendendo com Ramatis; “Mediunidade e Sacerdócio”; “Vozes de Aruanda”; “Evolução no Planeta Azul”; “A missão da Umbanda”; “Umbanda Pé no chão”.

 

Roger Feraudy – é autor consagrado de obras espiritualistas de grande sucesso. Seu conhecimento diversificado de matérias esotéricas e ocultas, que vão da Teosofia e dos velhos temas iniciáticos á Umbanda, passa por um leque de assuntos do universo espiritualista. Homem, pai, escritor, poeta e compositor, dedicou sua vida ao amor e ao universalismo. Com mais de uma dezena de obras publicadas, levou-nos ao conhecimento da Umbanda e suas origens por meio dos livros que psicografou. Seu principal mentor durante mais de 50 anos de trabalhos mediúnicos foi Pai Tomé. Desencarnou em 22 de março de 2006. Destaque para: “umbanda, essa desconhecida”, “Serões do Pai Velho”, “Baratizil, a Terra das Estrelas”, “A Terra das Araras Vermelhas”.

 

Robson Pinheiro – Após ter participado da criação de duas instituições beneficentes em Belo Horizonte, recebeu dos espíritos, através das mãos do médium Chico Xavier, a orientação para inaugurar o que viria a se chamar, mais tarde, Universidade do Espírito de Minas Gerais. Trata-se no núcleo formado pela Sociedade Espírita Everilda Batista, Casa dos Espíritos Editora e mais recentemente, pelas Clínicas Holísticas Joseph Gleber e da Aruanda, ambas em atividade desde 2004. Robson possui mais de 27 obras psicografadas por diversos autores espirituais; os direitos autorais dos livros são doados para a manutenção das obras sociais e divulgação realizadas pelas instituições por ele fundadas. Seus principais mentores são Alex Zarthú, Ângelo Ignácio, Joseph Gleber e Paio João de Aruanda. Apesar de médium espírita, já psicografou vários livros sob a temática da Umbanda. Destaque para :”Tambores de Angola”; “Aruanda”; “Negro”; “Alforria”; “Magos Negros”.

 

Sílvio da Costa Mattos – Pai Silvio conheceu o Espiritismo ainda na infância; aos 12 anos entrou pela primeira vez em uma tenda de Umbanda, na qual teve contato com o Preto Velho João de Aruanda, que anos depois, passou a ser um dos integrantes de seu grupo de protetores espirituais na linha de Yorimá. Aos 15 anos viu sua mediunidade aflorada e recorreu ao Espiritismo. Entidades começaram a se manifestar e o Caboclo Ubatuba anunciou as diretrizes a serem cumpridas; nos depois, inaugurou o templo de Umbanda Branca do Caboclo Ubatuba. Possui dois livros psicografados: “Arraial dos Penitentes”- por Caboclo Ubatuba e “A Trajetória de um Guardião Viking”, por Exu Sete Portas.

 

Rodrigo Queiroz – nasceu em berço católico, mas sempre buscou respostas para os fatos da vida e da natureza, encontrando-as na Umbanda. Fundo o “Jornal de Umbanda Sagrada” e é o idealizador do Instituto Cultural Aruanda, responsável por cursos à distância via Internet. Possui um livro psicografado : “A Redenção”- romance que trata da busca pela evolução espiritual ditado por Pai Preto de Aruanda, que conta a história do Sr. Exu Tranca Ruas das Sete Encruzilhadas”.

 

 

 
COMPARTILHAR:

+1

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

COMPRE NOSSO LIVRO - ATÉ 12x SEM JUROS

 POVO DE ARUANDA I, II e III

Clique na imagem e compre o livro!

Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste